Comentário ao Evangelho de Lucas 12, 39-48 PDF Imprimir E-mail
Escrito por Ervino Martinuz   
Ter, 18 de Outubro de 2011 18:35

• O evangelho de hoje nos apresenta novamente a exortação à vigilância com outras duas parábolas. Ontem a parábola do dono e do empregado (Lc 12,36-38). Hoje a primeira parábola é a do dono da casa e do ladrão (Lc 12,39-40) e a outra fala do proprietário e do administrador (Lc 12,41-47).

• Lucas 12,39-40: A parábola do dono da casa e do ladrão. “Ficai certos, se o dono da casa soubesse a hora em que ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. Vós também ficai preparados! Porque Filho do homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”. Em relação àquele dia ou àquela hora, ninguém os conhece, nem os anjos do céu, e nem o Filho, mas só o Pai! (cfr. Mc 13,32). Hoje, muitas pessoas vivem com a preocupação do fim do mundo. A última informação é que o fim do mundo está fixado para o dia 12 de dezembro de 2012 (!?!?). Pelas ruas das cidades sempre encontra a frase: Jesus voltará! Existem pessoas que, apavoradas com a chegada do dia fixado pelos astrólogos, videntes e alguns fanáticos, se tira a vida. Mas o tempo passa e a fim do mundo não chega! Outras vezes, a afirmação “Jesus voltará” é utilizada para apavorar as pessoas e para obrigá-las a freqüentar uma determinada igreja. Após tanta espera e especulações sobre a vinda de Jesus, muitas pessoas nem mais liga quanto à sua presença em nosso meio, nos eventos mais corriqueiros da vida, nos acontecimentos de todos os dias. Porque o que importa não é saber o momento do fim do mundo, mas ter um olhar capaz de perceber a vinda de Jesus já presente em nosso meio na pessoa do pobre (cfr. Mt 25,40) e de muitas outras maneiras e de acontecimentos da vida de todo dia.

• Lucas 12,41: A pergunta de Pedro. “Então Pedro disse: ‘Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?’” Não se capta o porque deste pergunta feita por Pedro. Lembra outro episódio, em que Jesus responde a uma pergunta semelhante, dizendo: “A vós é dado conhecer o mistério do Reino de Deus, mas a eles só em parábolas” (Mt 13,10-11; Lc 8,9-10).

• Lucas 12,42-48: A parábola do proprietário e do administrador. Na resposta à pergunta de Pedro, Jesus formula outra pergunta na modalidade de parábola: “Quem é o administrador fiel e atento, que o senhor encarregará de dar à criadagem a ração de trigo na hora certa?” Logo em seguida, o próprio Jesus dá a resposta: o bom administrador é aquele que realiza a sua tarefa de empregado, não se utiliza dos bens recebidos para proveito próprio, e está sempre vigilante e atento. Talvez é uma reposta indireta à pergunta de Pedro, como se dissesse: “Pedro, a parábola é dirigida diretamente a ti! Compete a ti saber administrar bem a missão que Deus te confiou: coordenar a comunidade. Neste sentido a resposta também vale para cada um de nós. E aqui adquire profundidade a aviso final: “Todo aquele a quem muito foi dado, muito lhe será pedido; a quem muito foi confiado, dele será exigido muito mais!”

• A vinda do Filho do Homem e o fim deste mundo. A mesma discussão existia nas comunidades dos primeiros séculos. Muitos nas comunidades afirmavam que o fim d mundo estava por perto e que Jesus terá chegada depois. Alguns cristãos da comunidade de Tessalônica, na Grécia, apoiando-se na pregação de Paulo, afirmavam: “Jesus voltará!” (1 Ts 4,13-18; 2 Ts 2,2). Por isso, havia até pessoas que não trabalhavam mais, porque pensavam que a vinda era coisa de poucos dias ou de semanas. Trabalhar por que, se Jesus teria voltado? (cf 2Ts 3,11). Paulo responde que a coisa não era tão simples como pareceria. E lembra aos que não trabalhavam: “Quem não trabalha não tem direito de comer!” Outros ficavam olhando o céu, esperando os primeiros sinais da volta de Jesus entre as nuvens (cfr. At 1,11). A outros a espera não agradava (2Pt 3,4-9). Em geral os cristãos viviam na expectativa da vinda iminente de Jesus. Jesus teria vindo para realizar o Juizo Final, para encerrar a história injusta do mundo nesta terra e abrir uma nova fase da história, a fase definitiva do Novo Céu e da Nova Terra. Pensavam que isto aconteceria após uma ou duas gerações. Muitos estariam ainda vivos quando Jesus teria aparecido glorioso no céu (1Ts 4,16-17; Mc 9,1). Outros cansados de esperavam, diziam: “Não voltará nunca mais!” (2 Pd 3,4). Até hoje, a segunda volta, a definitiva, de Jesus não aconteceu! Como entender este atraso? Não percebemos que Jesus já voltou e está em nosso meio: “Eis, eu estou convosco todos os dias até o fim do mundo” (Mt 28,20). Ele está ao nosso lado na luta pela justiça, pela paz e pela vida. A plenitude não chegou, mas uma evidência ou certeza do Reino já está em nosso meio. Por isso, esperamos com firme esperança a libertação total da humanidade e da natureza (Rm 8,22-25). E quando esperamos e lutamos, dizemos com razão: “Já está em nosso meio!” (Mt 25,40).

 

 

Para uma avaliação pessoal

 

• A resposta de Jesus a Pedro serve também para nós, também para mim. São um bom administrador, uma boa administradora da missão que recebi?

• O que faço para estar sempre vigilante?