Comentário ao Evangelho de Mateus 1,1-6.18-23 ou 18-23 PDF Imprimir E-mail
Escrito por Ervino Martinuz   
Qua, 07 de Setembro de 2011 18:42
• Hoje, 8 de setembro, festa da Natividade de Nossa Senhora, o evangelho traz a genealogia ou a carteira de identidade de Jesus. Através da lista dos antepassados, o evangelista apresenta às comunidades quem é Jesus e como Deus age de modo surpreendente para realizar sua promessa. Nas nossas carteiras de identidade está o nosso nome e sobrenome dos nossos pais. Algumas pessoas, para afirmar que são, lembram ainda os nomes dos avós. Outras se envergonham dos antepassados de suas famílias, e se esconde atrás de aparências que enganam. A carteira de identidade de Jesus traz muitos nomes. Na lista dos nomes encontra-se uma grande novidade. Naquele tempo, as genealogias apontavam só nomes de homens. Por isso, surpreende que Mateus insira também cinco mulheres entre os antepassados de Jesus: Tamar, Raab, Rute, a esposa de Urias e Maria. Por que escolheu exatamente estas cinco mulheres, e não outras? Esta é a pergunta que o evangelho de Mateus deixa para nós. • Mateus 1,1-17: A longa lista de nomes – o início e o final da genealogia. Desde o início ao fim da genealogia, Mateus deixa entender claramente qual é a identidade de Jesus: ele é o Messias, filho de Davi e filho de Abraão. Como descendente de Davi, Jesus é a resposta de Deus às esperanças do povo judeu (2 Sm 7,12-16). Como descendente de Abraão, é fonte de bênçãos e de esperanças para todas as nações da terra (Gn 12,13). Assim, seja os judeus seja os pagãos que fazem p0arte das comunidades da Síria e da Palestina do tempo de Mateus, podiam ver suas esperanças realizadas em Jesus. Elaborando a lista dos antepassados de Jesus, Mateus usa um esquema de 3 x 14 gerações (Mt 1,17). O número 2 é o número da divindade. O número 14 é duas vezes 7, que é o número da perfeição. Naquele tempo, era coisa comum interpretar ou calcular a ação de Deus servindo-se de números e de datas. Através destes cálculos simbólicos, Mateus revela a presença de Deus através das gerações e expressa a convicção das comunidades que afirmavam que Jesus apareceu no tempo estabelecido por Deus. Com sua vinda a história alcança sua plena realização. • A mensagem das cinco mulheres citadas na genealogia. Jesus é a resposta de Deus às esperanças seja dos judeus seja dos pagãos, porém, o é de maneira completamente surpreendente. Nos episódios das quatro mulheres do AT, citadas na genealogia, existe algo de anormal. As quatro eram estrangeiras, deram à luz seus filhos fora dos esquemas normais do comportamento da época e não satisfazem as exigências das leis da pureza da época de Jesus. Tamar, uma cananeia, viuva, se veste de prostituta para obrigar Judá a ser-lhe fiel e lhe dar um filho (Gn 38,1-30). Raab, uma cananeia, prostituta de Jericó, fez aliança com os israelitas. Ajudou-os a entrar na Terra Prometida e professou a fé em Deus do Êxodo que liberta (Js 2,1-21). Betsabeia, uma hitita, esposa de Urias, foi seduzida, violentada e engravidada pelo rei Davi, que, além disso, ordenou a morte do marido (2 Sm 11,1-27). Rute, uma moabita, viúva pobre, escolheu ficar com Noemi e aderir ao povo de Deus (Rt 1,16-18). Aconselhada pela sogra Noemi, Ruth imita Tamar e passa a noite com Booz, obrigando-o a observar a lei e lhe dar um filho. Da relação deles nasce Obed, o avô do rei Davi (Rt 3,1-15;4,13-17). Estas quatro mulheres questionam os modelos de comportamento impostos pela sociedade patriarcal. E assim as iniciativas delas, pouco convencionais, darão continuidade à descendência de Jesus e trarão a salvação de Deus a todo o povo. Através delas Deus realiza seu plano e manda o Messias prometido. Realmente, a maneira de agir de Deus surpreende e deixa pensar! No final, o leitor, se faz a pergunta: “E Maria? Existe nela alguma irregularidade? Qual é? A resposta nos é dada pela história de São José que segue no texto de Mateus (Mt 1,18-23). • Mateus 1,18-23: São José, homem justo. A irregularidade em Maria é que fica grávida antes de conviver com José, seu prometido esposo, homem justo. Jesus disse: “Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos fariseus e dos escrivães, vós não entrareis no Reino dos céus”. Se José tivesse assumido a justiça dos fariseus, teria denunciado Maria e ela teria sido lapidada. Jesus teria morrido. Graças à verdadeira justiça de José, nasceu Jesus. Para uma avaliação pessoal • Quando me apresento aos outros, o que falo de mim mesmo e de minha família? • Se o evangelista aponta só esta cinco mulheres ao lado dos mais de quarenta homens, ele, sem dúvida, quer comunicar uma mensagem. Qual é esta mensagem? O que nos diz tudo isto sobre a identidade de Jesus? E o que diz sobre nós?