Missa da Festa da Transfiguração do Senhor PDF Imprimir E-mail
Escrito por Ervino Martinuz   
Sex, 05 de Agosto de 2011 18:33

TRANSFIGURAÇÃO DO SENHOR

(branco, glória, prefácio próprio – ofício da festa)

Nota histórica

Manifestação antecipada da glória do Senhor e profecia do seu êxodo ao Pai, a celebração de hoje focaliza a dimensão pascal e escatológica da liturgia e de toda a vida cristã. A palavra do Pai preanuncia a adoração filial daqueles que, ouvindo e seguindo o Filho amado, tornam-se seus irmãos (Lc 8,21) e partícipes da transfiguração eterna. A festa deste 06 de agosto, originalmente celebrada no Oriente, foi estendida a toda a Igreja pelo Papa Calisto II (06 de agosto de 1457) para lembrar a libertação de Belgrado do domínio turco (1456).

Antífona da entrada

O Espírito Santo apareceu na nuvem luminosa e a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho amado, nele depositei todo o meu amor. Escutai-o (Mt 17,5).

Oração do dia

Ó Deus, que na gloriosa transfiguração de vosso Filho confirmastes os mistérios da fé pelo testemunho de Moisés e Elias e manifestastes, de modo admirável, a vossa glória de filhos adotivos, concedei aos vossos servos e servas ouvir a voz do vosso Filho amado e compartilhar da sua herança. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura – Daniel 7, 9-10.13-14

Daniel assiste ao aparecimento de Deus, juiz e senhor de todos, na imagem do Ancião. O mesmo Ancião entrega a realeza a alguém como «filho de homem», estabelecido senhor universal. No processo de sua paixão, onde se apresenta como «servo de Deus», Jesus atribuirá a si a realização da figura daquele «filho de homem», que será o juiz glorioso.

Leitura da profecia de Daniel – 9Eu continuava olhando até que foram colocados uns tronos e um ancião de muitos dias aí tomou lugar. Sua veste era branca como neve e os cabelos da cabeça, como lã pura; seu trono eram chamas de fogo, e as rodas do trono, como fogo em brasa. 10Derramava-se aí um rio de fogo que nascia diante dele; serviam-no milhares de milhares, e milhões de milhões assistiam-no ao trono; foi instalado o tribunal e os livros foram abertos. 13Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam; seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá. – Palavra do Senhor.

Salmo responsorial 96(97)

Deus é rei, é o altíssimo, muito acima do universo.

1. Deus é rei! Exulte aterra de alegria,

e as ilhas numerosas rejubilem!

Treva e nuvem o rodeiam no seu trono,

que se apóia na justiça e no direito. – R.

2. As montanhas se derretem como cera

ante a face do Senhor de toda a terra;

e assim proclama o céu sua justiça,

todos os povos poder ver a sua glória. – R.

3. Porque vós sois o altíssimo, Senhor,

+ muito acima do universo que criaste,

e de muito superais todos os deuses. – R.

2ª Leitura – 2 Pedro 1,16-19

O anúncio sobre o Senhor Jesus não se fundamenta sobre fábulas inventadas com maestria, mas a partir do testemunho que os apóstolos tiveram no contato físico com o Mestre, da experiência ocular de sua revelação e de seu reconhecimento pelo Pai na transfiguração. Este testemunho revigora a mesma Escritura que, por outro lado, ilumina como uma lâmpada, à espera que chegue o Cristo glorioso, o sol da manhã definitiva que, porém, já deve brilhar no coração dos discípulos -

Leitura da Segunda Carta de São Pedro - Caríssimos: 16Não foi seguindo fábulas habilmente inventadas que vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, mas sim, por termos sido testemunhas oculares da sua majestade. 17Efetivamente, ele recebeu honra e glória da parte de Deus Pai, quando do seio da esplêndida glória se fez ouvir aquela voz que dizia: "Este é o meu Filho bem-amado, no qual ponho o meu bem-querer". 18Esta voz, nós a ouvimos, vinda do céu, quando estávamos com ele no monte santo. 19E assim se nos tornou ainda mais firme a palavra da profecia, que fazeis bem em ter diante dos olhos, como lâmpada que brilha em lugar escuro, até clarear o dia e levantar-se a estrela da manhã em vossos corações. - Palavra do Senhor.

Evangelho – Mateus 17, 1-9

Moisés e Elias, a lei e soa profetas, se dirigem para Jesus porque foram a preparação e a espera do Messias. Depois fica só Jesus, o Filho de Deus, o amado, aquele em quem mora e ressoa a palavra do Pai. Os breves momentos da transformação aparecem como uma brecha sobre o mistério de Jesus, normalmente escondido em sua vida mortal e que a paixão irá esconder ainda mais. Mas não se deverá duvidar: no serviço humilde de sua morte Jesus levará à plena realização o plano de Deus; a fé não deverá fraquejar e arrefecer.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eis o meu Filho muito amado, nele está meu benquerer, escutai-o, todos vós! (Mt 17,5) – R.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus - Naquele tempo: 1Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha. 2E foi transfigurado diante deles; o seu rosto brilhou como o sol e as suas roupas ficaram brancas como a luz. 3Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus. 4Então Pedro tomou a palavra e disse: 'Senhor, é bom ficarmos aqui. Se queres, vou fazer aqui três tendas: uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias.' 5Pedro ainda estava falando, quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra. E da nuvem uma voz dizia: 'Este é o meu Filho amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o!' 6Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito assustados e caíram com o rosto em terra. 7Jesus se aproximou, tocou neles e disse: 'Levantai-vos, e não tenhais medo.' 8Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais ninguém, a não ser somente Jesus. 9Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes: 'Não conteis a ninguém esta visão até que o Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos.' - Palavra da Salvação.

Oração da assembléia

1. Transfigurai, Senhor, vossa Igreja e fazei-a brilhar pela santidade.

AS: Iluminai-nos, Senhor.

2. Transfigurai as autoridades e ensinai-as a promover a justiça e a paz.

3. Transfigurai os que sofrem e ajudai-os a seguir os passos de Jesus.

4. Transfigurai nosso olhar e ensinai-nos a descobrir vossa presença nos que sofrem.

5. Transfigurai nosso coração e tornai-o semelhante ao vosso.

Sobre as oferendas

Santificai, ó Deus, as nossas oferendas pela gloriosa transfiguração do vosso Filho e purificai-nos das manchas do pecado no esplendor de sua luz. Por Cristo, nosso Senhor.

Prefácio (o mistério da transfiguração)

Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Perante testemunhas escolhidas, Jesus manifestou sua glória e fez resplandecer seu corpo, igual ao nosso, para que os discípulos não se escandalizassem da cruz. Desse modo, como cabeça da Igreja, manifestou o esplendor que refulgiria em todos os cristãos. Unidos à multidão dos anjos e dos santos, celebramos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz...

Antífona da comunhão

Quando Cristo aparecer, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é (1Jo 3,2)

Depois da comunhão

Ó Deus, que o alimento celeste por nós recebido nos transforme na imagem de Cristo, cujo esplendor quisestes revelar na sua gloriosa transfiguração. Por Cristo, nosso Senhor.